Por: Neliengue Sancho


O casamento tradicional africano ou simplesmente Alembamento consiste na união de duas pessoas, onde a família da noiva impõe aos parentes do noivo dotes a serem apresentados no dia da cerimónia, entretanto, o alembamento vai muito além de anel no dedo, do joelho dobrado apoiado no chão. É um enlace de grande importância, uma vez que enaltece a família e é visto como o ‘pilar’ da felicidade.

Algumas famílias da parte sul como Huambo, Benguela e Kwanza-Sul conservam um elemento por eles considerado muito importante (se não o mais importante) entre eles chamado “okukwatiça epata” em umbundo, quer dizer “unir as famílias” em português. Este elemento consiste em a noiva cozinhar imediatamente um dia a seguir do pedido em casa da família do noivo.


Segundo explicou dona Filomena Sangana, de 57 anos, da província do Kwanza-sul, “o ritual serve para selar a união do novo casal e as respectivas famílias, além disso, usa-se também como teste para sabermos se noiva sabe cozinhar ou não”.

A moça, continuou, deve trazer da casa dos seus pais uma cesta contendo fuba, óleo vegetal e palma, sal e uma galinha. Faz-se acompanhar de uma tia (irmã do pai) que vai auxiliar na confecção do alimento.

A comida feita pela noiva deve ser provada por todos aqueles que estiverem presentes, porém, as esposas de outros jovens da mesma família (parentes do noivo), que não passaram pelo mesmo processo jamais podem tocar naquele alimento, porque, segundo entendem pessoas vinculadas a esta tradição, estas esposas ainda não fazem parte da família como tal, por não terem passado pelo processo que une o casal e a família, “okukuatiça epata”.

Para dar as boas vindas à noiva, uma das tias do noivo dá de comer “Onzangui” (folha de feijão seca feita com tomate) com fígado e o coração da galinha que a noiva cozinhou permitindo desta forma que ela se sinta bem recebida na nova família.

Filipe Chilumbo, de 62 anos, afirmou que sua esposa também tivera passado pelo mesmo processo: “ekukuatiça epata”. Explicou ainda que a cesta que a mulher leva para fazer o ritual deve ser devolvida quando o marido ou a mulher morre, a família dele é obrigada a montar uma cesta contendo óleo de palma e vegetal, fuba e galinha para devolver à família da mulher falecida de modo a se livrar de qualquer compromisso que tinha com a esposa.

O Alembamento é um costume tradicional ou casamento tradicional que consiste na celebração de uma cerimónia em que o homem se torna esposo da mulher, mediante procedimentos tradicionais, tendo em conta os costumes regionais.

Hoje, há certas mudanças neste casamento típico angolano, o que leva muitas vezes a confundir Alembamento com pedido de casamento, que segundo o senhor Filipe Chilumbo, são coisas diferentes, sendo o Alembamento uma exigência que os familiares da família da noiva fazem uma lista, onde são exigidas certas coisas como fatos, bebidas, calçado, até mesmo galinhas, se for preciso. O pedido consiste numa apresentação, onde se pede consentimento para casar.