Por: Redação


Dezoito angolanos terminaram, em sete semanas, em universidades dos Estados Unidos da América, uma formação académica em diferentes áreas, segundo nota da Embaixada de Angola naquele país.

A formação foi promovida pela Bolsa de Estudos Mandela Washington Fellowship 2017, onde os angolanos receberam formação sobre administração pública, liderança cívica e empreendedorismo.

Tiveram também formação em Direito, Gestão informática de negócios e empresas, gestão desportiva e engenharia de petróleo e gás natural e turismo.

A Bolsa Washington é direcionada para Jovens Líderes Africanos (YALI, em inglês) e foi lançada em 2014, pelo ex-presidente Barack Obama, com fim de apoiar jovens do continente berço da Humanidade.

Os beneficiários saíram  das províncias de Luanda, Huambo, Huíla, Benguela e Cabinda e  interagiram entre os meses de  Junho e Julho, nos EUA, em companhia de centenas de outros jovens africanos que, em diversas universidades,  melhoraram seus conhecimentos académicos.

Escolhidos num universo de 750 candidatos, o número de participantes aumentou para 53 angolanos, desde o início do projecto

Em Washington DC, os estudantes visitaram, na última terça-feira, a Embaixada de Angola nos EUA, onde mantiveram encontro com o embaixador angolano no país americano, Agostinho Tavares.

“A vossa presença aqui é um motivo de orgulho para nós, porque estamos certos de que, ao regressarem ao país, irão pôr em prática os conhecimentos adquiridos e fortalecer a rede já estabelecida, criando parcerias relevantes, contribuindo para o desenvolvimento sócio-económico do país”, enfatizou o diplomata.

Um dos participantes considerou “rígida” a selecção efectuada, tornando-se num grande desafio e numa oportunidade  para “melhorar as habilidades, aproveitando as facilidades que os EUA oferecem, para ajudar no desenvolvimento de Angola”