Por: Jéssica dos Santos


Os antigos jogadores da selecção angolana de futebol poderão ter direito à pensão de sobrevivência, nos próximos tempos.  Neste momento, está a decorrer o processo de cadastramento de todo o pessoal abrangido, de acordo com vice-presidente da Associação dos Antigos Futebolistas de Angola (AAFA), Carlos Queirós.

 

Após o cadastramento e inscrição, todo o antigo praticante tem como condição, “sine qua non”, acompanhar à respectiva ficha dos bordereaux dos depósitos bancários efectuados para regularizar a situação de dívidas das quotas por pagar, referente ao ano de 2016, assim como actualizar as quotas de 2017, explicou o responsável, em declarações ao Jornal O Desporto”.

 

Foi estabelecido uma quota mensal do valor de quinhentos kwanzas, de acordo com os estatutos vigentes da AAFA, o que corresponde a uma quota anual de seis mil kwanzas, que devem ser depositados nas coordenadas das contas bancárias da Associação.

 

Este projecto consta do instrutivo nº 01/GPRES/AAFA/2017, em que o organismo que defende os direitos dos antigos praticantes de futebol evoca um processo de inserção destes, numa pensão de reforma.

 

“No âmbito do processo de inserção do ex-praticante de futebol, para uma pensão de reforma junto dos Ministérios da Juventude e Desportos (Minjud) e da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS), e Instituto Nacional de Segurança Social (INSS), foi solicitado aos núcleos provinciais que cumpram escrupulosamente com o presente instrutivo, que deverá habilitar o ex – praticante, de beneficiar de alguma pensão de reforma”, disse em nota.

 

Para o efeito, o instrutivo orienta que os núcleos provinciais devem fazer o levantamento de todos os elementos abrangidos (Ex-praticantes), com uma prova de vida, através das fichas a serem distribuídas para cadastramento e inscrição, como membro associado da AAFA.