Por: Redacção

Imagem: D.R

Os autores da morte da jornalista da TP,  Beatriz Fernandes e do jovem Jomance Muxito  mortos no passado dia 26 de Outubro no Km 30, em Viana, foram hoje apresentados, em Luanda, pelos serviços de investigação criminal, SIC. Contrariamente ao que se especulava nas redes sociais, a morte dos jovens não foi encomendado, segundo informou Amaro Neto, director dos serviços de investigação criminal, em Luanda, tendo acutelado que o SIC continuará a investigar o caso. Maurício Pedro Eduardo, um dos meliantes contou como planearam o acto.
“Eles abordaram as vítimas com um embate na viatura destas, simulando um  acidente. Não há nada que indique que o crime foi encomendado”, informou o director do SIC
 
Entretanto , um dos cinco meliantes e único angolano no caso,  confessou à imprensa que antes de assassinarem Beatriz e Jomance, receberam-lhes os multicaixas e seguiram para o Zngo III e por volta das 3 horas do dia seguinte praticaram o crime.
“Nós seguimos o Prado que vinha em direcção ao Condomínio Girassol, em Vianna. Pedimos ao  motorista para lhe pancar e ele assim o fez. No primeiro embate eles não pararam. Só no terceiro é que eles estacionaram e aí começaram a discutir com o mais velho Dolor“, contou.
Depois da discussão, contava, o mais velho Dolor colocou as vitimas e mandou subir no carro e seguiram ao Zango III. Posto no Zango III já com os multicixas das vitimas retiraram alguns valores deslocaram-se para o Palanca.
 
Os cinco ladrões, nomeadamente Makaloku Banza, de 53 , Lando Bikokisila, de 35, Ambrósio Kitoco, de 25, anos respectivamente (todos da Republica Democratica do Congo) e Marciano Pedro Eduardo  (angolano), permaneceram aí até por volta das 3 horas do dia seguinte e foram às imediações do bairro Km 30 onde, no silêncio, efectuaram os cinco disparos contra Beatriz e Jumance Muxito.
 
Antes de assassinarem as vítimas, os ladrões cometeram abuso sexual à jovem Beatriz. Depois de consumado o crime, os meliantes levaram os filhos de Beatriz em direcção à estrada, próximo a uma esquerda policial.
 
Falando à imprensa o director dos serviços de investigação criminal em Luanda voltou a alertar os cidadãos sobre os cuidados a tomarem quando estiverem a andar sozinhos abordo de uma viatura, pois os ladrões, muitas vezes, vão simulando assidentes e outros tipos de truques para conseguirem o que quiserem.