Por: Redação


Serão construídos em Benguela, nos municípios da Baía Farta e Lobito, no próximo ano, dois primeiros centros comunitários de atenção psicossocial para recuperar pessoas que sofrem de doenças mentais e que, na maioria dos casos, vivem nas ruas.

Alberto Chama, psicólogo e coordenador do Programa de Saúde Mental em Benguela, disse à Angop, sem adiantar a capacidade de atendimento projectada para os dois primeiros, que os centros comunitários são, na prática, unidades sócio-ocupacionais para os doentes mentais, cujo objectivo principal é fazer com que os indivíduos com transtornos mentais sejam reinseridos na família com apoio médico e social.

Nesses centros, explicou, os doentes passam algumas horas do dia para consulta com psicólogos e outros técnicos da área e ainda têm a possibilidade de recuperar a memória com jogos, aulas de relaxamento e outras técnicas típicas de um hospital psiquiátrico. “Nos centros de atenção psicossocial o paciente é submetido à terapia ocupacional e depois de algumas horas regressa à família”, disse.