Por: Neliengue Sancho


O nascimento de uma criança muda “totalmente” a rotina de  um casal em geral e de uma mulher em particular, principalmente nos primeiros anos de vida, obrigando o casal a adoptar novo modo de vida e em muitos casos os cônjuges deixam de ser namorados para se tornarem somente em pais ou em mãe da criança.
Consequentemente, muita coisa entre o casal fica para trás, como os passeios, o namorar sem se preocupar em cuidar de uma terceira pessoa, o pai passa a comprar e conhecer marcas de produtos infanto-juvenis de forma rigorosa, muitas vezes serão obrigados a passar noites em claro e o que é pior é quando o casal deixa de cuidar da sua vida enquanto homem ou mulher doptados de necessidades biológicas.

A psicóloga Kanguimbo Ananaz em conversa com a Jovens da Banda, referiu ser importante que apesar da chegada do filho (o que faz com que algumas vezes a mulher tenha pouco tempo para o marido) o marido deve de uma ou de outra maneira chamar a atenção da esposa fazendo comentários que possam despertar na mulher o desejo de tomar conta do marido trocando  carinho, beijo, carícias e muitas outras coisas. Por sua vez, a mulher também deve mostrar para o seu marido que não é apenas mãe da criança, é principalmente mulher, esposa e namorada.  E como ela vai fazer isso? A especialista recomenda que ela tem de se arrumar mais, usar um perfume que afugente o cheiro do leite que as vezes é desagradável, deve atiçar o desejo do seu marido enviando uma mensagem picante, enfim, os dois devem trabalhar no estado psicológico um do outro evitando serem apenas pais, mas eternos namorados.

Alguns pais explicaram que é difícil gerir tal situação porque a vinda de um filho muda bruscamente a vivência do casal e torna-se complicado ser pai e namorado ao mesmo tempo.

Matias Vasconcelos é pai de primeira viagem e confessou-nos que tudo entre ele e a esposa mudou. Disse que passou a conhecer uma séria de coisas novas como marcas de fraldas, xaropes para crianças, pó e artigos de limpeza íntima para petizes. As mensagens do tipo: amo-te!, Já almoçaste? Estou com saudades, estás linda, foram substituídas por: o bebé parou de chorar? Qual é a marca da fralda? Já deu o xarope e  outras questões ligadas a criança.

Pode parecer óbvio que a chegada de um bebé altere as dinâmicas de uma casa. E realmente, uma criança também altera a maneira como os casais se comportam em relação ao outro. Geralmente, os pais se tornam mais distantes e metódicos, isso pode ser interpretado como uma tentativa de atender às demandas da maternidade e da paternidade. Tarefas básicas como alimentar os pequenos, dar banho, trocar as fraldas, gastam muita energia, tempo e determinação. É um paradoxo, mas na tentativa de manter o ambiente tranquilo, os pais acabam discutindo mais, seja porque não conseguem entrar em um acordo sobre a viagem em família ou sobre as compras do mercado. É nesse momento que surgem as pequenas brigas, capazes de desgastar uma relação em questão de dias ou meses. Perguntas sobre como foi o dia de trabalho de cada um são substituídas por como é possível que este bebé suje fraldas tão rápido, e isso é extremamente estressante.

Essas mudanças surtem efeitos profundos: identidades são transformadas e substituídas de esposa à mãe, ou, em um nível mais íntimo, de namorados a pais. A chegada das crianças interfere no nível de satisfação e a frequência de relações sexuais do casal. Quando o assunto é a Hora H, os homens tendem a parar de dizer e fazer pequenas coisas que antes agradavam suas esposas e vice-versa. Quer um exemplo? O amo-te é substituído por mensagens pedindo alguma coisa do mercado.