Por: Adalmira Ekuikui

Imagens: Leni Staff


A responsável da galeria que promove os artistas angolanos na principal montra da arte africana, em Paris, França, Sónia Ribeiro, explicou como os participantes foram seleccionados e por conseguinte como a galeria foi escolhida. A Galeria THIS IS NOT A WHITE CUBE – TINAWC, representada por Ana Silva, Januário Jano e Nelo Teixeira, vai participar na segunda edição da AKAA, Feira Internacional de Arte Africana de Paris, que vai decorrer de 10 a 12 de Novembro de 2017, no Centro cultural Carreau Du Temple.

Segundo a diretora da Galeria, Sónia Ribeiro, a participação dos artistas na Feira Internacional de Arte Africana de Paris foi feita por meio de uma inscrição que consistiu no envio de um projecto onde foram explicadas as razões das escolhas dos três artistas e das obras.  Para a galeria angolana participar, segundo explicou a responsável, “a seleção é feita por um comité da Feira, que basicamente analisa todos os projetos e tivemos a bênção de nos terem escolhido”.

O artista Nelo Teixeira considera a sua participação no evento como um passo dado em frente, confessa que não esperava que um dia os seus trabalhos estariam expostos num país como a França. As suas obras são feitas com materiais recicláveis, o que considera ser um elemento que o identifica como o artista africano Nelo de Carvalho, “tu consegues identificar a minha personagem porque leva toda alma e todo o contacto físico, visual desse meu povo”, justificou.

A selecção dos três artistas que participarão da actividade teve em conta a consolidação de cada um no mercado como artista, como referiu Sónia Ribeiro, “realmente implica algum grau de exigência na escolha do artista, não é o local ideal para artistas muito emergentes. Tentamos selecionar obras que se complementassem, portanto temos as fotografias do Januário Jano, temos as obras do Nelo que são feitas com reciclado e temos os trabalhos da Ana Silva, que trabalha igualmente com tecidos, rendas e com desenhos, que vão complementar”
Ana Silva participou em diversas exposições colectivos de artistas, nomeadamente no Museu de História Natural e no Museu da América em Madrid; no Palácio Ribamar em Lisboa, Galeria do Banco Económico em Luanda e em diversas galerias portuguesas e angolanas, tais como na Galeria Matos Ferreira e a This is Not a White Cube. Artista convidada para a Expo Mundial em Milão em 2015 e para vários outros projectos institucionais.  A artista acredita que a Feira surgiu num momento oportuno em que já está suficientemente preparada para estar no evento. Está confiante nos resultados que podem vir da feira, “sei que vai correr bem, sou uma pessoa muito relaxada, não tenho muitas expectativas. Acredito muito que não é por acaso que estou a fazer isso agora e acho que é o momento certo e se é um momento certo é porque alguma coisa boa vai acontecer”, confia.

A sensação de participar do evento como este “é de poder voltar”, Januario Jano, que já fez uma exposição individual na França e ainda tem obras em Paris, “é sempre agradável voltar na cidade de Paris e ainda mais, estar numa feira AKAA, que é uma feira jovem”.

AKAA apresenta-se como o lugar que defende uma África multifacetada, transcendendo as fronteiras históricas e cuja voz ressoa nos quatro cantos do mundo, realizada através da visão de cada artista. Com cerca de 15 mil visitantes durante os 3 dias de exposição, a feira estabelece um forte intercâmbio entre galerias, artistas e coleccionadores, com objectivo de se envolverem,  transmitirem e compartilharem a inspiração africana.
A galeria angolana participa pela primeira vez.