Por: Jéssica dos Santos


Faz hoje, 13 de Setembro de 2017, vinte e um anos da morte do rapper norte-americano Tupac Amaru Shakur, também conhecido por 2Pac, Pac e Makaveli.

Tupac nasceu aos 16 de Junho de 1971 na cidade de East Harlem, Nova Iorque, Críticos e agentes da indústria fonográfica nomearam-no como o maior rapper de todos os tempos. Em 2010, ele já havia vendido pelo menos 75 milhões de cópias pelo mundo. Além de ser músico, Tupac também foi actor e ativista social.

A maioria das suas canções retratam o crescimento no meio da violência e da miséria nos guetos, o racismo, os problemas da sociedade e os conflitos com outros rappers. O trabalho de Shakur é conhecido por defender a igualdade política, económica, social e racial.

Antes de entrar para a carreira musical, era um roadie e dançarino de Hip Hop alternativo.

O então jovem vinha a falecer aos 25 anos, num dia 13 de Setembro, em 1996, em Lavegas, Nevada, vítima de tiroteio, após sair de uma luta de Box entre Mike Tyson e Bruce Seldon, no MGM Grand Las Vegas. Foi levado para o hospital, mas em seguida sobreviveu a uma série de cirurgias, inclusive, a da retirada do pulmão direito, mal sucedida, Shakur submeteu-se à fase crítica da terapia médica; suas chances de sobrevivência foram calculadas em 50%. Gobi saiu do centro médico após ter sido informado que o artista tivera uma melhora de 13% na noite de sexta-feira.

Enquanto decorria  a terapia intensiva na tarde de 13 de Setembro de 1996, Tupac faleceu de hemorragia interna, os médicos tentaram reanimá-lo, mas não conseguiram impedir a propagação da hemorragia. Sua mãe, Afeni Shakur, informou aos médicos sua decisão de desligar os aparelhos.

Foi declarado morto às 16h03, as causas oficiais da morte foram descritas como insuficiência respiratória e parada cardiorrespiratória, além dos múltiplos ferimentos a balas. O corpo de Shakur foi cremado.