Por: Redacção


Assinala-se, a 24 de Outubro, o Dia Mundial contra a Pólio, para juntar apoios e pôr fim à poliomielite, uma doença incurável mas completamente prevenível através da vacina e que ainda ameaça crianças em alguns lugares do mundo.

De acordo com uma mensagem da directora regional da OMS para África, Matshidiso Moeti, divulgada a propósito, desde o lançamento da Iniciativa Mundial para a Erradicação da Pólio (GPEI) há cerca de 30 anos, os casos novos de poliomielite caíram em mais de 99,9 por cento, de cerca de 350 mil casos anuais quando o mundo assistia cerca de mil casos por dia, na década de 1980, para apenas 37 casos mundiais em 2016.

Num exemplo de melhores práticas, líderes políticos e comunitários comprometeram-se em garantir o sucesso  da maior campanha de vacinação contra a poliomielite em África. Mais de 190 mil vacinadores imunizaram, em simultâneo, mais de 116 milhões de crianças menores de cinco anos contra a pólio, em 13 países, num esforço coordenado a nível da África Ocidental e Central. Voluntários e profissionais de saúde viajaram a pé ou de bicicleta, trabalhando até 12 horas por dia, muitas das vezes sob temperaturas elevadas, acima dos 40 graus centígrados, isso evitou novos casos de poliovírus selvagem e a Região atingiu agora um marco importante para a erradicação – passado um ano do último caso de poliovírus selvagem na Nigéria.

Angola lançou o seu Programa de Erradicação da Pólio em 1997, mas dois anos mais tarde registou a maior epidemia da doença, com 1.119 casos.

Em 2001 foi registado o último caso de pólio autóctone em Saurimo, na Lunda-Sul, entretanto, quatro anos depois voltou a ser registada a doença por importação do vírus.

Para alteração do quadro, foi lançado um plano de emergência, em 2011, com vista a interromper a transmissão do vírus, tendo os últimos cinco casos da doença sido registados nesse ano, nas províncias do Uíge e Kuando Kubango. O país recebeu o certificado de país livre da pólio no dia 27 de Novembro de 2015, em Madagáscar, contudo a Nigéria voltou a ter o vírus, constituindo uma ameaça para os países da região.