Por: Redação


Sandra Musujusu, estudante da Universidade Africana de Ciência e Tecnologia, em Abuja, na Nigéria, descobriu o tratamento alternativo para um subtipo de cancro da mama muito encontrado em mulheres negras.

A jovem estudante originária da Serra Leoa, já fez descobertas inovadoras na forma de tratar o cancro. A pesquisa de Sandra Musujusu é centrada no desenvolvimento de polímeros biodegradáveis para o tratamento do cancro da mama”, explicou, em entrevista ao jornal nigeriano “Nigerian Tribune.”

“Vou concentrar-me no cancro da mama triplo negativo, que é realmente o subtipo agressivo de cancro da mama que é comum nas mulheres de ascendência africana”, deu a conhecer.

O cancro da mama é a enfermidade comummente diagnosticada entre mulheres. Em 2012 havia 1,7 milhões de novos casos em todo o mundo, de acordo com o Fundo Internacional para a Pesquisa do Cancro.

Lembrar que a Universidade Africana de Ciência e Tecnologia é um conceito de sistema universitário desenvolvido pela Fundação Nelson Mandela, com o objetivo de fazer com que as instituições de ensino técnico do continente africano alcancem o mais alto nível de excelência.