Por: Neliengue Sancho

Imagem: JdB


A faltar 24 dias para o tão aguardado momento, a JdB saiu esta quinta-feira às ruas de Luanda para saber como os cidadãos estão a preparar a época. Apesar de ainda faltar 24 dias para a data e 30 para o final do ano, os preços já começaram a disparar, segundo constatou a nossa reportagem. A caixa de óleo, antes adquirida três mil kwanzas, hoje ronda de 4 a  5 mil Kwanzas, facto que tem preocupado os cidadãos, que anteveem um natal infeliz para os filhos, já que muito deles não conseguiram poupar.

No natal  Cristãos comemoram o nacimento de Cristo. Por hábito, famílias, amigos e colegas juntam-se  para partilhar momentos, comidas e bebidas, para além trocarem presentes. Entretanto, isto só é possível quando se tenha os meios que propiciem o momento.

Logo a saída a JdB interpelou Mateus Lucas, de 47 anos. Funcionário público há mais de 10 anos quando questionado sobre o assunto, aparentemente triste com a pergunta, depois de alguns minutos respondeu que até o momento não recebeu o décimo terceiro, por isso antevê uma quadra festival difícil.

“Até agora nem salário e nem subsidio ou décimo terceiro recebi, então, tudo indica que o natal este ano não será das engordas como de costume” lamentou.

“Olha agora mesmo, continuava, acabei de receber uma chamada do neto para saber quando poderei enviar a passagem para ele vir passar as quadras festivas connosco” revelou.

As crianças são as que mais gostam dessa época por serem agraciadas com presentes de todo o  tipo e preço. Entretanto, muitos pais acreditam que para 2017, os filhos devem apenas esperar ter no mínimo arroz para que não morram de fome.

Pedro Lopes, tem três filhos e é funcionário de uma empresa de proteção física. Sem revelar quanto recebe de salário, o cidadão contou à JdB que a sua situação financeira este ano vai de mal à pior, pelo facto de ainda não conseguir fazer alguma poupança para os filhos.

“A situação esta crítica. Nos outros anos, numa altura como esta o valor para as prendas já estava reservado e era apenas uma questão de dias para que a árvore de natal estivesse rodeada de diversos artigos embrulhados com as mais diversas cores que dão um toque especial a casa” desabafou

As lamentações não ficaram por aí, há também a questão da subida dos produtos alimentares que tem sido comum em época de natal. Por exemplo, a caixa de óleo vegetal que até há duas semanas custava entre três a três mil e oitocentos , hoje está a ser vendida entre 4 e 5 mil.

O bacalhau, peixe muito procurado na quadra festiva também está a um valor considerado alto, segundo a senhora Domingas, que em forma de prevenção, resolveu comprar antes da semana do natal pede a intervenção do governo o quanto antes.

“O kilo varia entre 4 e 6 mil kwanzas nos supermercados, mas pode ser encontrado um pouco mais barato no mercado informal, por isso o governo tem que velar já por isso”, apelou.