Por: Lourenço Mussango


Às 18 horas de desta sexta-feira, 20, a Galeria Tamar Golan, da Fundação Arte e Cultura, inaugura a exposição colectiva ‘Raízes Africanas’, com a participação dos jovens artistas plásticos angolanos Alves Manuel, Germano Silva, Horácio Kachaga, Kiazola Makamu e Letícia Nguizani. A exposição ficará patente ao público até próxima sexta-feira, 27 de Outubro.

‘Raízes Africanas’ é uma mostra colectiva de jovens artistas plásticos angolanos, realizada no âmbito de mais uma edição da Maratona dos Artistas, “montra de arte” que permite aproximar artistas em início de carreira a apreciadores de arte, dando igualmente oportunidade a que artistas consagrados se interessem pelo projecto e contribuam para o desenvolvimento das artes plásticas em Angola.

Segundo Zinha Monteiro,  artista plástica, os jovens talentos de Angola retratam o nosso país pelas suas raízes e pelas suas tradições. Alves Manuel, Germano Silva, Horácio Kachaga, Kiazola Makamu e Letícia Nguizani desenvolveram as suas obras cada um com a sua sensibilidade, retratando o que as suas mãos e os seus olhos sentem. Temos nesta exposição retratados os mais puros sentimentos das almas destes artistas, que nos mostram os seus talentos e exprimem a sua angolanidade. Germano Silva vem ao presente e do lixo – ou mais propriamente, da reciclagem – faz obra, uma obra pintada a ouro que brilha e releva as nossas raízes.

A Galeria Tamar Golan é um projecto cultural inovador, alternativo e sem fins lucrativos da Fundação Arte e Cultura, que visa promover as artes plásticas angolanas e apoiar jovens talentos, que de outra forma dificilmente teriam uma oportunidade. Todas as receitas da galeria são canalizadas para os projectos sociais da Fundação Arte e Cultura.