Por: Neliengue Sancho


Lady Francisco Mukeba, é um jovem da banda que como muitos outros corre atrás dos sonhos, com determinação, força e fé. Estreou-se há cerca de 3 meses com o pseudónimo  ‘O Velho Kipacaça’ lançando a obra intitulada “O Vendedor de Esperanças” a 31 de Agosto do ano em curso, livro que em menos de dois meses já “faz sucesso no Brasil”.

Hoje, trazemos à conversa um jovem que foi bem recebido pelos angolanos e brasileiros no mundo da literatura. Dono de um sorriso contagiante, altura de um metro e 82 centímetros, Lady Mukeba recebeu na manhã de hoje a nossa equipa de reportagem com sorriso estampado no rosto e boa disposição.

Nascido em Fevereiro há 26 anos, Lady estreou-se no mundo da literatura com o pseudónimo de “O Velho Kipacaça” tendo publicado sua primeira obra em Agosto deste ano.

O comunicólogo mal sabia o que lhe esperava no Brasil, fruto do livro que  Óscar Miguel, seu amigo, levara e oferecera aos professores e amigos brasileiros da Pontifícia Universidade Católica (PUC), no Rio de Janeiro, “tudo começou numa brincadeira quando o meu amigo na altura do lançamento pensou em oferecer presentes em algumas pessoas lá no Brasil e pensou logo no ‘Vendedor de Esperanças'”, sorriu.

A receptividade do livro foi “positiva”, tanto que o Velho Kipacaça, a pedido do público leitor brasileiro, deslocou-se até aquele território para autografar a obra.

Para a surpresa do jovem autor, os brasileiros não só queriam um autógrafo, como também estavam interessados em saber mais sobre a cultura africana em geral e particularmente angolana. Neste contexto, o também professor foi convidado a representar Angola na Feira Internacional de Pedagogia, Cultura e Arte, com países como Estados Unidos da América, Portugal, Espanha e a França, isto depois de três palestras já realizadas na Pontifícia Universidade Católica, no Brasil, onde o jovem falou de temas relacionados a cultura de africana, mostrando e explicando para mais de 200 pessoas que visitaram sua bancada no evento o Imbondeiro, a Samacaca, a figura da Mwana-Pwo e também cerca de 40 exemplares do seu livro que segundo conta o autor “foram a voar” (referindo-se que os vendeu no abrir e fechar de olhos). Além disso, o autor do livro com 112 páginas foi nomeado embaixador do projecto “Gente que Lê” que será implementado em Angola em data a anunciar.

O Velho Kipacaça justifica a escolha do título: “Vendedor de Esperanças” porque acredita que “por natureza o ser humano vende e compra esperanças”, daí o título. Feliz com o sucesso da sua primeira obra em Angola e no Brasil, o autor confessa que não esperava que em pouco tempo o livro fosse bem sucedido internacionalmente, citando que “é tudo resultado de um trabalho enorme e fruto de tudo que fui bebendo de autores nacionais e, sobretudo, pela sua maior fonte de inspiração, Conceição João Francisco, sua mãe a quem dedica a obra.

Na cantina…aos 14 anos.

Yola Semedo e NGA são músicos que o jovem consultor de marketing digital e apaixonado por artes não dispensa.

Terceiro filho de Conceição Francisco entre nove irmãos,  Velho Kipacaça nasceu no kinaxixi, Luanda, a 4 de Fevereiro de 1991.

Durante sua infância e Juventude teve contacto directo com a realidade tradicional em Luanda, sob a influência de familiares como a avó materna, facto que inspirou no lançamento dessa sua primeira obra literária “O Vendedor de Esperanças”.

É na sua cidade natal que fez o seu ensino primário, secundário e médio, este último na Escola de Formação de Professores IMNE Garcia Neto, onde também desenvolveu gosto pela escrita.

O seu percurso profissional inicia aos catorze anos numa cantina como balconista, tendo passado depois pela Tv Zimbo, pela Semba Comunicação e daí ter nascido a sua paixão pela comunicação.

É licenciado em Ciências da Comunicação  pela Universidade Independente de Angola, e com outras formações profissionalizantes na área de jornalismo.

Conhecedor das ferramentas e do Marketing Digital, o  seu trabalho contribuiu para a vitória de Luís Larama na primeira edição do Big Brother Angola, e a vitória de Sandra Cordeiro numa das categorias do Angola Music Awards em 2014.

Actualmente dedica-se à escrita, ao ensino, consultoria de Marketing Digital e palestras sobre temas relacionados a motivação.