Por: Jéssica dos Santos


Mutumbu Chiraqui, de 20 anos, natural do Kimbele, Uíge, veio para Luanda no em 2015 à procura de melhores condições de vida, porque segundo o mesmo “no mato as condições são poucas e o dinheiro pouco aparece”.

Mutumbu veio com o tio, pois já é órfão de pai e mãe, parou de estudar por falta dinheiro. Trabalha com um amigo a fazer programação e cópias de chaves,  desde que chegou à Luanda, numa oficina onde o seu falecido tio trabalhava há 8 anos.

O jovem mostrou-se determinado ao confessar que não pretende ficar a copiar chaves para sempre, como todo mundo Mutumbu tem o seu sonho, “primeiramente quero concluir os meus estudos, pois parei apenas na 6ª classe, sei ler e escrever mais ou menos, mas sei que isso não é tudo”, reconhece.

Além do desejo de concluir os estudos em Luanda, visto que foi para isso que se deslocou, Chiraqui deseja ter o seu próprio negocio, “Se for para continuar a fazer cópias de chaves e programação, eu quero ter a minha própria oficina e o meu escritório, quero dar aos meus filhos, aquilo que não tive, não quero trazer filhos ao mundo para sofrer como sofri, principalmente por ser órfão”, sentenciou.

“Ainda vou ser alguém, também terei as minhas coisas, sem precisar de ninguém, humildade é tudo e já ouvi que nos torna completos, ainda vou ajudar todos aqueles que um dia me ajudaram”, referiu.

Mutumbo entende que “nas províncias ainda existem `matos` que não evoluem, no Uíge onde vivia, as dificuldades eram muitas, por isso a deslocação para as províncias vizinhas, muitas delas também não oferecem condições, Luanda chega a ser a melhor opção para nós que procuramos condições de vida”.