Por: Jéssica dos Santos


Mateus Seita Alberto Cutala, de 25 anos, co-fundador da R-Kumbi, fala sobre o seu projecto, o qual criou com ex-colegas do Instituto Médio Industrial de Luanda, formados em Química. É um projecto de reaproveitamento de óleo vegetal para efeito de sabão e adubos, criado por Arcanjo Wacunzo, Elga de Assunção e Mateus Cutala, ex-colegas do IMIL.

Ekumbi é uma palavra em Umbundu, que significa “Sol” e R vem de reutilizar e reciclar.

Tem como finalidade, conta, “contribuir para o desenvolvimento sustentável agregando valor” e respeitando o meio ambiente e melhorando o modo de viver das comunidades através da utilização de óleo vegetal oriundo das residências, restaurantes, para a produção de sabão e adubo.

“Reaproveitamos o óleo de cozinha, que muitas das vezes, após o uso, as pessoas em casa pensam não ter mais valia. Esse mesmo óleo pode-se renovar, ou seja pode entrar num processo de transformação, como resultado final, o sabão”.

A ideia do projecto surgiu de uma conversa informal entre os membros, e pelo telefone, após essa conversa, “passamos a escrever as ideias num papel, enviando para todos membros e daí executar as ideias”.

A R-Kumbi está engajada na consciencialização da sociedade sobre as questões ambientais, no que tem a ver com produção de energia limpa, sabão e adubo, tudo reutilizado.

Além da reutilização de óleo vegetal, e criação de adubos, a R-Kumbi está também engajada num projecto de criação de painéis solares, ou seja, dispositivos criados para converter a radiação solar em energia” por se valer exclusivamente do sol, a fonte de energia mais abundante do planeta, trata-se do método mais limpo, conhecido por ‘geração  da energia`.

Sobre o que acha do mercado angolano, Mateus Cutala frisou que em termos de recursos renováveis o mercado tem potencial para gerar empregos e rendas em todos os níveis hierárquicos da sociedade.

“Tivemos a oportunidade de participar na primeira feira do empreendedorismo do núcleo Jovens da Banda e Neovibe, o que para nós foi fantástico, o pessoal ficou deslumbrado com a ideia, e ainda podemos contar com a presença do Ministro da Juventude, Professor Albino da Conceição José, que nos deu um grande incentivo de continuarmos a ir para frente e nos candidatarmos ao Projovem”.