Por: Albino Tchilanda

Imagem: Domineves Anthony


Dois anos depois da divulgação, nas redes sociais, do vídeo “Escuro Not”, que gerou uma grande polêmica no seio da juventude angolana e de seus fãs, o que diminuiu sua popularidade, os fãs do músico Puto Português mostraram se terem esquecido do evento que manchou o ídolo, ao aderirem, em grande, o show que o artista realizou sábado, no cine Atlântico. À JdB o artista confessou que já que já não será o mesmo.
O espectáculo, segundo confirmou o próprio, é o pontapé de saída para a tour que pretende realizar na Europa, começando por Portugal, 24 deste mês. O jovem intérprete considerou estar a viver uma nova fase de sua vida depois de ter enfrentado duras críticas da sociedade, por causa do polêmico  vídeo de 2015 que, segundo lembrou, não tinha qualquer intenção de ferir o público.
“Depois do último espetáculo que realizei na cidadela, em 2014, já não voltei a fazer cartaz, por causa do vídeo. Tive de reflectir bastante para voltar a pisar os palcos. juro que já não sou o mesmo”, confessou com um olhar brando à nossa reportagem.
 O artista confessou que não contava  com a participação de mais de 1500 pessoas a assistirem-no e por isso alugou o espaço do Atlântico, por ser exíguo.
O show foi especial para o menino do Rangel, uma vez que o aproveitou para gravação do seu DVD.
Questionado se não receava a ausência do público já que o espetáculo aconteceu 15 minutos depois da final da Liga dos Clubes Campeões, que opôs a Juventus da Itália e o Real Madrid, o rangelito, conforme se apelidou em palco, respondeu que em princípio não sabia, e quando se apercebeu já era tarde e não podia adiar.
Os adeptos do Real Madrid, eufóricos com a presença do ‘kota Português’, conforme aceitava ser chamado pelo mestre de cerimónia, dobrou os gritos quando a tela gigante presente em palco era substituída pelo homem da noite, o Puto Português.
O evento teria começado às 20 horas, acabou por acontecer às 22 horas, depois da vitória de 4-1 do Real sobre a Juventus e contou com a participação do humurista Kotingo e dos músicos Ceff, Ary, Lil Saint, Zona 5 e Edmazia.
Entre luzes a colorir a cena do espetáculo e as baterias, guitarras e pianos os seis dançarinos interpretavam as coreografias.