Por: Neliengue Sancho

O músico e compositor, Kizua Gourgel, com mais de 23 anos de carreira artística, foi o primeiro de várias homenagens a serem realizadas no Centro Cultural ” Camões”. O evento que visa reconhecer os feitos dos músicos enquanto vivos estreou-se esta quarta-feira, em Luanda. A sala de espetáculos foi pequena para acolher os fãs que ansiosos para verem e lembrarem os bons momentos com o músico assistiram ao espetáculo de fora.

O colectivo de alunos do Complexo de Escola de Artes, CEARTE,  emocionaram o arista ao coreografarem suas músicas. O auditório Pepetela foi minúsculo para acolher todos que quiseram saber sobre a trajetória do herdeiro da trova, grandemente influenciado pelos pais.

 O espetáculo denominado “Retrato de um Artista Desnudo”  é uma promoção do projecto “Retrato” e visa homenagear artistas vivos, contrariando as habituais homenagens destinadas à artistas que já partiram.

À  Neovibe o compósitor de “Tetembwa ya mwenhu uami” mostrou-se satisfeito e revelou que não conteve os sorrisos e as lágrimas por causa da encenação dos rapazes da Escola de Artes que contaram em gesto toda sua vida.

Silva Canganjo, mentor do projecto contou que o evento tem como objectivo “desvendar a vida de um artista criador, autêntico e humanista, cujas criações sobreviveram noe superaram os limites do tempo e do espaço” e, em função da enchente, o espetáculo vai repetir-se ainda no dia 15 deste mês.

Percurso musical de Kizua Gourgel

Kizua começou a vida artística com os pais aos quatro anos. Mas foi através da viagem em Portugal, em 1986, que tudo começa quando consegue a primeira guitarra, com a qual compôs “Princesa”, seu primeiro sucesso.

Em 1994 regressa a Angola e ingressa no projecto “Gingas do Maculusso”, numa altura em que faziam parte do grupo, Gersy Pegado, Maria João, Josina Stella, Patrícia Faria, Ise e Celma Miguel mais tarde decidiu seguir uma carreira à solo.
músico é cofundador da Banda “Wanna groove” em companhia do apresentador Pedro Nzagi, Nino Jazz,Wando Moreira e Hélio Cruz.
Como compositor e guitarrista, Kizua tem participações em vários projectos discográficos.  É também um dos coordenadores do o projecto “Jazzmente”.
Constam ainda da sua carreira artística, a participação no Festival da Canção, arrebatando o título de vencedor da V edição, em 2002, com a canção “Tetembwa ya mwenhu uami”. Em 2007  vence o “Top Rádio Luanda”, Prémio Balada do ano, com a canção “Depois do Fim. No mesmo ano lança o primeiro single, “Tetembwa”.
Jazzmente é um projecto promovido pela produtora “MeioTom” desde 2016 em que fazem parte, apara além de Kizua Gourgel, os artistas: Luaty Boavida Serpião Tomás e Totó .