Texto: Neliengue Sancho

 

Assinala-se esta quarta-feira, 3,  o dia mundial da liberdade de imprensa. Em Luanda, foi na terça-feira discutida em palestra a temática da liberdade de imprensa nos nossos dias, aliada a tecnologias de informação, conduzida pelo jornalista luso Olísio Oliveira.

O evento foi promovido pelo Ministério da Comunicação Social, o jornalista abordou valores como a privacidade, a liberdade de imprensa e a reputação pessoal, sendo que para o mesmo,  “as tecnologias de informação colocam a liberdade de imprensa num plano diferente e mais difícil de controlar pelos poderes instituídos, mas ao mesmo tempo dá maior responsabilidade e valorização do papel dos jornalistas”.

O comunicador explicou que o debate sobre esse direito fundamental é mais intenso que no tempo dos tradicionais meios de comunicação e é o início do reconhecimento da nossa dependência das redes sociais, plataformas “on-line” e dos restantes “media”, sejam eles locais ou globais.

Na presença do ministro da Comunicação Social, José Luís de Matos, o palestrante afirmou  que os “modelos de análise sobre a existência de liberdade de imprensa e de expressão terão de contemplar as potencialidades que os novos media proporcionam”.

Além do ministro da comunicação social, o secretário de estado da comunicação social, Manuel da Conceição,  jornalistas,  responsáveis de órgãos de informação públicos e privados, e outras individualidades estiveram presentes na palestra.

O dia mundial da liberdade de imprensa, que se assinala nesta quarta-feira, 3, foi criado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), a 3 de Maio de 1993, com vista a garantir o direito dos jornalistas de investigarem e publicarem informações de forma livre.