Por: Neliengue Sancho


O mundo comemora hoje, 14, o dia do dador de sangue, numa altura em que África é a mais afectada por crises e surtos que provocam o aumento da procura de transfusões sanguíneas e dificultam sua entrega. Em entrevista a Jovens da Banda, o chefe da área da hemoterapia do hospital dos Cajueiros referiu  que o número de dadores voluntários é bastante reduzido, tendo em média apenas 3 a 5 pessoas que se voluntariam para salvar vidas, facto que lamentou.
“Ainda não estamos bem na área da hemoterapia porque não temos doadores voluntários, temos mais doadores de ocasião e familiares” informou o responsável pela hemoterapia dos Cajueiros, Job Baltazar Kimbari.
Segundo o responsável, a carência é tanta que o centro depende de igrejas e de outras organizações que mobilizam seus associados para fazerem doação, o que leva muitas vezes os pacientes a esperarem pelo sangue para serem socorridos quando devia ser o doente a encontrar o sangue no hospital.
O especialista lembrou ainda que os homens e mulheres dos 18 aos 60 anos podem doar sangue em cada três e em cada 4 meses, respetivamente.
O hospital de momento conta com a Brigada Jovem Solidários na realização de campanhas de doação, tendo efectuado na segunda-feira a segunda campanha do ano, onde 9 pessoas com peso e idade superior a 50 quilos e 18 anos doaram sangue.

As crises humanitárias a que África tem passado nas últimas décadas revelam que na maioria dos países, existem inadequações dos sistemas de saúde nacionais quando se trata de gerir emergências sanitárias, incluindo no que diz respeito à disponibilização, em tempo útil, de sangue, à segurança do sangue e à acessibilidade a esse bem vital.A directora  regional da OMS para  África, Matshidiso Moeti, explicou que muitas vítimas dessas crises morrem por falta de sangue e de produtos hábeis do sangue ou correm o risco de infecção quando se submetem a uma transfusão com sangue contaminado.

“Cada pessoa pode desempenhar um papel em situações de emergência dando sangue. A transfusão sanguínea constitui uma componente essencial dos cuidados de saúde de emergência”, frisou.
Para este ano o lema é: “O que pode fazer? Dar sangue. Dar agora. Dar frequentemente”, dando enfoque a doação de sangue em emergências, dirigindo-se em especial àqueles que queiram ajudar.
Em 2004 a Organização Mundial de Saúde instituiu o dia 14 de Junho como o Dia Mundial do Doador de Sangue. O objetivo é homenagear e agradecer a todos os doadores que ajudam a salvar vidas diariamente. Na data comemora-se também o aniversário de Karl Landsteiner, prémio Nobel pela descoberta do sistema de grupos de sangue ABO (sistema sanguíneo com diferentes tipos de sangue).
A baixo, deixamos requisitos para que você, prezado leitor, salve vidas doando sangue:
  • Ter entre 18 e 60 anos
  • Peso superior a 50Kg
  • Boas condições de saúde
  • Homens devem esperar um intervalo de 60 dias para doar novamente e mulheres de 90 dias.
  • Não estar grávida nem amamentando
  • Levar um documento oficial de identidade com foto
  • Ter dormido pelo menos 6 horas antes da doação

O procedimento é simples, rápido e indolor!

Doe sangue e salve vidas!
Juntos somos mais fortes.