Saiu do Gana com 50 dólares no bolso e foi estudar para os EUA, onde se tornou milionário ao trabalhar no desenvolvimento do Windows NT, na Microsoft. Patrick Awuah, de 52 anos, nasceu em Acra, Gana, onde regressou e fundou a mais importante universidade do país, centrada em pensamento crítico, ética e espírito de missão. Na quarta-feira desta semana foi distinguido com o prémio WISE para a Educação, considerado o equivalente ao Prémio Nobel na área do ensino.

Patrick Awuah tornou-se num dos mais importantes educadores a nível global e conhecido no mundo inteiro pelas suas ideias sobre educação e por palestras, como a que está disponível no site das TED Talks, onde discorre sobre a importância das Humanidades na formação de líderes., escreve o Jornal de Notícias português.

Com 50 dólares na carteira e uma bolsa de estudo, Patrick Awuah saiu do Gana em 1985 para estudar na Swarthmore College, nos EUA, onde aprendeu o valor do pensamento crítico, o que contrastava com a formação anterior que tinha recebido. Licenciado em engenharia, entrou na Microsoft e tornou-se milionário com o seu trabalho no desenvolvimento do Windows NT.

Depois de ter passado pelo Gana novamente, onde queria fundar uma empresa de software, percebeu que queria fazer a diferença em África e decidiu voltar aos EUA, à Universidade de Berkeley, para saber como criar a sua própria universidade e o que seria necessário para criar uma mentalidade de liderança fundamentada na integridade.

Em 2002, o sonho foi cumprido com a Ashesi University College e os primeiros 30 estudantes daquela que, hoje em dia, é considerada a instituição de ensino superior de referência no país.

“Decidi criar uma nova universidade no Gana não porque faltavam universidades no meu país, mas porque faltavam universidades a ensinar competências do século XXI. Havia muito ênfase na memorização, muito pouco no pensamento crítico e independente, ética ou colaboração. Decidi abrir uma universidade que poderia oferecer aos jovens ganeses e africanos a oportunidade da excelência e de se tornarem pessoas que resolvem problemas – os próximos líderes africanos”, afirmou Awuah, citado no comunicado que anuncia a conquista do galardão.

O trabalho de Patrick Awuah na universidade de Ashesi, que alberga 900 estudantes nas áreas da engenharia, gestão, ciência dos computadores e gestão de sistemas de informação – mas sempre com as Humanidades presentes -, foi esta quarta-feira distinguido na Cimeira Mundial da Inovação na Educação, em Doha, no Qatar.

Fonte: Jornal de Notícias (PT)