Por: Adalmira Ekuikui


O Ministro da Administração e Território, Adão de Almeida, que falava esta segunda-feira na cerimónia de comemoração do 23º aniversário do Fundo de Apoio Social (FAS), considerou os municípios como sendo o epicentro para o combate das desigualdades.

A actividade decorreu na manhã de hoje no HCTA e contou com as presenças do Ministro da Administração e Território, Adão de Almeida, que felicitou os funcionários do FAS pelo trabalho que tem levado a cabo a nível das 18 províncias, e considerou serem visíveis os feitos do projecto a nível de toda Angola. Considerou igualmente que muitos dos problemas enfrentados a na sociedade exigem intervenção dos municípios, “os municípios devem ser o epicentro do combate às desigualdades”.

Estiveram igualmente presentes os representantes do Banco Mundial e da União Europeia, fontes de financiamento do FAS.  Para Marta Brites, chefe adjunta da delegação da União Europeia, considerou o FAS como sendo um projecto bom, por conseguir alcançar todos os cantos do país, “temos visto que o FAS tem um alcance muito bom, ele consegue chegar a todos os cantos do país”, considerou.

O Fundo de Apoio Social (FAS) é uma instituição governamental autónoma, criada a 28 de Outubro de 1994. Está sob a superintendência do Ministério da Administração do Território e Reforma do Estado.

O Director-Geral do FAS, Dr. Santinho Figueira, considera que passados 23 anos da existência, um dos maiores desafios futuro, é ajudar o governo nas zonas em que existem maiores carências, “um outro grande desafio que nós temos também, é continuar no angariamento de fundos, sobretudo financiamentos e propriamente também com doadores. Sobre financiamentos estamos a contar com uma força muito grande do Banco Mundial e também com uma força da União Europeia”.

Santinho Figueiredo identificou algumas zonas de maior carência onde o FAS pretende trabalhar, que segundo o mesmo “tem muito haver com a construção de zonas de infraestruturas básicas”. Resumi os feitos do FAS na aproximação da administração do município com os munícipes e a cultura da participação.

Desde o inicio da sua actividade em 1994, o FAS já financiou a construção e reabilitação de 3082 infraestruturas sociais nos sectores da educação, saúde, água e saneamento, de apoio a produção, assim como capacitou funcionários de 97 administrações municipais.