Muitas mulheres angolanas estão  insatisfeitas com a criminalização absoluta do aborto prevista no novo código penal por se aprovar definitivamente daqui a dias. Para isso está reservada uma marcha para sábado com intuito de protestarem.

O documento, que vai à votação final no dia 23 do mês em curso, está a preocupar a sociedade, sobretudo as mulheres, às quais é reservado o dom de nascer.

Consternadas com a situação, um grupo de mulheres angolanas está a organizar uma marcha de protesto contra a penalização do aborto, conduzido sob lema “chega de mulheres mortas por aborto clandestino”

A concentração será no cemitério Santa Ana “em homenagem às várias mulheres que morreram por conta de abortos”, pelas 10 horas, no sábado, segundo uma nota chegada à imprensa.

Ainda segundo a nota, uma carta foi enviada na terça-feira ao Governo da Província de Luanda a dar conta da intenção de se realizar a marcha