Por: Jéssica dos Santos


O músico conhecido como Jay Lorenzo, é João Lourenço, numa conversa descontraída com a Neovibe, o artista partilhou suas vivências, as “géneses” da sua arte, os projectos com os SSP e Dj Kazuza ainda este ano. Mas também não perdeu de vista a oportunidade de manifestar o desejo de, como artista ter um seguro de saúde, na senda de viver só da música, e a almeja distinção na cena da música nacional.

O nome ‘Jay Lorenzo’ surgiu pelo facto de ter vivido mais de 20 anos da Alemanha, em Berlim, e os alemães não conseguiam pronunciar bem então resolveu ceder.

O músico começou a despertar a paixão pela música a partir dos 6 anos de idade, aos 9 acompanhava seu tio, que era guitarrista e vocalista numa banda gospel Jazz, foi ouvindo e apreciando pelo que aprendeu muito rápido todas as músicas, e cantava nas notas certas, o que deixou outros integrantes do grupo espantados, daí partiu o incentivo por parte do tio e dos outros membros do grupo.

Desde o inicio da sua carreira Jay nunca teve um estilo certo, desde que começou a fazer música sempre fez aquilo que lhe tocava na alma, não interessava o estilo ou a direcção e praticamente foi mesmo desenvolvendo assim, embora esteja mais apaixonado pelo estilo R&B e hip – hop, com vários elementos do Soul, Blues e Jazz, e como produtor que é navega em quase todos os estilos, refere.

Sobre viver da música em Angola? “já estivemos melhor, embora sinta ainda uma certa desordem, acho que precisamos nos organizar mais, para criarmos realmente uma indústria de música, por enquanto dependemos da praça, ou vamos vender os discos nos locais de eventos, como artista também quero estar em condições de ter um seguro de saúde”, sublinhou. “Gostaria que criássemos pelo menos uma instituição que ajude os artistas nesse sentido e quando falo de artistas, falo de todos artistas, não só músicos”, referiu.

Jay Lorenzo está engajado em alguns projectos, em simultâneo, um deles é o projecto Jay Lo/J Bro, com Jeff Brown, de quem considera ser um “grande artista” pelo qual tem “muito respeito”. O projecto consiste na gravação de um álbum e ainda conta com tournée com os SSP em toda Angola e Moçambique, depois tem projecto com o nome “Contador de Sonhos” já no volume II com o Dj Kazuza.

Depois vem o que entende ser ‘Genesis’, que é o lançamento da sua segunda obra discográfica, está terminado, conta com doze faixas, participações de Cage one, Djeff Brown, Dick Stive de Nova Iorque, sem data prevista para o lançamento, pois diz que não está com pressa de correr para a Praça da Independência e vender. Está mais preocupado em executar, em aparecer mais, espalhar mais, para que as pessoas o conheçam e tenham a oportunidade de ouvir, apreciar e criticar seu trabalho, o mesmo quer manifestar-se no seio dos apreciadores de música e depois sem pressa pensar no lançamento do disco.

Jay sente-se no auge todos dias, porque tudo que faz “é com muito amor”, diz, não interessa o palco, não interessa o número de discos vendidos, não interessa o número de reconhecimento, “eu não quero ser conhecido, ou reconhecido, eu quero ser distinguido”, rematou.