Por: Jéssica dos Santos

Imagem Santo César 


Mazunina Pita Grós Codinha, mais conhecida por Mazunina Godinho, noiva de 42 anos de idade, é a responsável pelo projecto ‘Gordcharme’, uma agência que realça a beleza feminina de um corpo mais avantajado, e vem, por isso, estimulando a auto-estima. Desde os seus 18 anos que Mazunina trabalha na Televisão Pública de Angola (TPA), começou em Benguela depois transferida para Luanda, na altura para apresentar uma gala “Acácias de ouro” e acabou por ficar em Luanda definitivamente.

Passou por programas informativos como o Telejornal, jornal da tarde, Bom dia Angola, e hoje é apresentadora do magazine “Ecos e Factos” e aos fins-de-semana apresenta o Jornal das 22 horas, no canal 2 da TPA.

Foi em 2010 que tudo começou, quando Mazunina participou de um concurso de Miss, “todas as vezes em que a televisão aos 18 de Outubro celebra o seu aniversario há sempre aquela coisa de concursos para festejar o dia, e eu sempre participava, participei do desfile e acabei por ganhar”.

“Algumas pessoas reviam-se em mim, porque fui a primeira apresentadora gordinha que apareceu na televisão em Angola. É engraçado (risos) as pessoas reviam-se mesmo… ‘ela é gordinha e aparece na televisão’, então nós também podemos”.

Visto que a apresentadora era um espelho para muita gente, seguindo o conselho de suas primas, decidiu criar um projecto com o nome Gordinhas e charme abreviado em ‘Gordcharme’. Em 2010 decorreu o primeiro Miss Plus Size em Angola, para as gordinhas “nós fomos escolhidas”, o desfile tinha sido na Casa 70, em Luanda. “Saí como Miss gordinha simpatia, acredita, tenho a faixa até hoje (risos)”, refere. A modelo passou, então, a experimentar momentos de orgulho da sua beleza, já que depois do evento foram surgindo pessoas à procura dos seus serviços, “tinham roupas para vender às gordinhas”, “sabiam que não tinha saída e procuravam-me, olha Mazunina faz só publicidade no teu Facebook”.

“Fui chamando meninas assim gordinhas no Facebook, ‘olha, querida, não queres fazer parte de um grupo que estou a criar de gordinhas?’ ‘Tens vergonha de alguma coisa em ti?'”, explica que assim as amigas foram chamando as amigas. A agência hoje está com 34 modelos, “fui tratando de tudo, hoje existe a agência Gordcharme, uma família, onde até homens estão a entrar”, disse.

Mazunina confessa que criou o projecto não só para meninas, mas também rapazes e crianças, segundo a promotora, a agência serve para ajudar todos aqueles que passam por ‘bullying’, “digo sempre, o preconceito começa dentro de nós, nós é que temos que nos aceitar, muitas das meninas que hoje trabalham comigo quando chegaram à agência diziam: ‘eu vou fazer, mas não vou usar uma blusa que me vai mostrar o braço, porque o meu braço é muito gordo’, hoje elas usam normalmente, vestem fatos de banho, vão à praia normalmente porque aprenderam a aceitar-se, isso é um processo”, alerta, “as pessoas não podem dizer que elas estão de mãos dadas com a obesidade, ela aceita a obesidade, não é nada disso, eu não posso obrigar as pessoas a emagrecer, porque não vai dar certo, não posso dizer”, diz lembrando que já foi a um medico e este disse-lhe que iria conseguir engordar, chegando a jogar na sua cara que, “porque você é gorda”, recordou, “são pessoas como essas que nos levam a depressão e isso leva as pessoas a engordarem muito mais”, explica.

“Estamos todas na aula de ‘Zumba’, a menos de três semanas e já há evolução”, revelou, “elas já se sentem mais leves, a auto-estima já era boa, agora então está super, elas estão a emagrecer, estão a cuidar delas brincando, dançando e isso é que é mais importante”.

A agência de modelos Plus size de Mazunina Codinha já existe há 5 anos, organizaram o seu primeiro desfile na Urbanização Nova Vida, este ano organizaram o segundo desfile com o tema “ Moda sem preconceito” e participaram na 5ª edição do moda Belas, onde usaram o mesmo tema, o que até chegou a ser destaque no telejornal, “nunca um desfile em Angola foi destaque, e o nosso desfile de moda plus size das Gordcharme, só isso já mostra que há uma revolução, mostra que as pessoas já estão atentas, e foi um ‘bumm’ não contava com o número de pessoas que apareceram” reconhece, lembra que muita gente predispôs-se a comprar ingressos a preços altos, “e eu fiz um preço da igreja ( risos) para que todas as pessoas fossem assistir, hoje as pessoas nas províncias pedem, mas por falta de patrocínio não conseguimos chegar até elas, temos trabalhado com o nosso pouco, então fica difícil”, lamenta.

Muitos dizem que gordinhas não arranjam namorado…

“Não se achem coitadas, nós não somos coitadas”, alerta, “muitos dizem que as gordinhas não arranjam namorado, arranjam sim, trate de si, da sua pele, unhas, cabelo, invista em si, porque tudo é um investimento, porque se não investires em ti, quem irá investir? Se te achares uma coitadinha, quem vai olhar para ti? então pare de se achar uma coitada por ser gorda, eu não obrigo ninguém a fazer dietas malucas, para mim não existe dietas malucas, se quiser fazer alguma coisa reeduque-se na sua alimentação e passe a cuidar mais de si”, recomenda Mazunina.

Yara Vanusa Augusto, de 24 anos, faz parte da agência de modelos Gordcharme como modelo e coordenadora, “eu antes era simplesmente a Yara, hoje eu sou a Yara Augusto coordenadora da Gordcharme, onde quer que as pessoas estejam, já sabem, olha a Gordcharme, estar na Gordcharme aumentou muito a minha auto-estima”, reconhece, “não é que não tivesse, agora eu sou mais segura de mim, já não consigo ser simplesmente a Yara, hoje as pessoas me chamam a Yara Augusto da Gordcharme”.

Bruno Miguel também é modelo da Gordcharme, de 24 anos, entrou para a agência porque considera que esta faz a diferença, “gosto de fazer coisas diferentes, sempre tive uma auto-estima muito alta e como já tinha um projecto do género, já pensei em juntar várias pessoas que têm assim complexos por serem gordos(as) e praticamente o que muda é que começamos a conviver com pessoas que também têm um nível alto de auto-estima e ajudar outros, porque um é bom e dois é melhor”, explicou.

Suzaneth Freire de Jesus Figueira, de 21 anos de idade, decidiu entrar para o grupo porque era uma pessoa que, revela, sentia complexos sobre o seu corpo “as pessoas olhavam e aquilo ficava na minha mente, era uma coisa estranha, sentia-me mal, mas depois conheci a Gordcharme fiz o casting e passei, desde esse dia comecei a sentir-me bem, já não tenho complexos de querer ficar só em casa sem sair por causa do corpo, esse projecto veio mostrar que as gordinhas também podem tudo”, refere.