A cantora angolana Nsoki conquistou na noite de sábado, em New Jersey (Estados Unidos da América) os prémios de Melhor Artista Feminina Palop e de Melhor Single Feminino, com o tema “África Unite”, durante a gala de premiação do African Entertainment Awards – USA.

Na gala, a angolana foi ainda agraciada com um certificado por ter rompido as fronteiras que separavam a música feita nos PALOP e o mercado anglófono e também pelo facto de a sua música “África Unite” apelar à união africana. O certificado veio acompanhado de mais um troféu para a galeria da artista.

Recentemente vencedora de dois prémios na  gala Afrimma, Nsoki concorreu nas categorias de artista revelação, melhor artista feminina dos Países de  Língua Oficial Portuguesa (PALOP),  melhor single feminino (Africa Unite) e prémio popularidade.

Além de estar como candidata, Nsoki também subiu ao palco como cantora convidada.

A autora angolana venceu os galardões dos prémios África Magazine Music Awards (Afrimma), nos Estados Unidos da América nas categorias de Artista Revelação e Melhor Artista da África Central.

Nsoki Neto nasceu em 1983, em Luanda, e começou a cantar muito cedo, na vertente de música lírica nos Estados Unidos da América (EUA), onde estudou finanças.

Em 2012, lançou o primeiro single intitulado “Meu Anjo”, que teve a participação do músico angolano Nanutu e do cabo-verdiano Johnny Ramos.

Em 2013, Nsoki publicou o seu primeiro álbum “Meu Anjo”, que contou com a participação dos cantores Heavy C (angolano), Johnny Ramos (cabo-verdiano), Nguabi Montel (angolano) e Ricardo Duna (brasileiro) e em 2015 lançou o CD “Prova dos Nove”.

Nsoki formou-se em Administração e Finanças, nos Estados Unidos da América. Desde muito cedo que possui inclinação para o canto, tendo participado em grupos corais e peças de teatro. Ainda nos EUA, cantava música lírica, sempre na voz soprano e mezzo-soprano.