A Plataforma para Inclusão convocou uma marcha pelos direitos “negados à pessoas com deficiência”, relativamente às barreiras no acesso a espaços urbanos, edifícios e transportes. A concentração será no sábado, 22, no cemitério da Sant’Ana, pelas 10 horas.

Um dos membros da organização, Adão Ramos, confirmou à JdB estar tudo preparado para a marcha e advertiu para que os manifestantes estejam no local de concentração às 8h30. Prevê-se que a marcha termine no largo das Heroínas, em Luanda.

A ideia da marcha surgiu da necessidade de chamar a atenção dos poderes públicos e da sociedade sobre a importância da acessibilidade na vida das pessoas com limitações, reclamam.

No passado foi aprovada uma lei que estabelece normas, condições e critérios de acessibilidade para as pessoas com deficiência ou com mobilidade condicionada. A mesma lei prevê a eliminação de barreiras arquitectónicas nos edifícios, espaços e equipamentos urbanos, transportes especiais e apropriados, entre outras garantias.

Apesar de a lei ainda estar em vigor, o seu cumprimento é quase que inexistente, o que tem impossibilitado a locomoção de milhares de cidadãos abortando sonhos.