Albino Tchilanda


Os professores na província do Bengo exigem a demissão do director provincial da Educação Ciência e Tecnologia, caso não aconteça prometem não arrancar com o segundo trimestre do ano lectivo, previsto o reinício na próxima semana.
As exigências foram manifestadas esta quinta-feira pelo Sindicato dos Professores (Sinprof) naquela província, numa altura em que o ministro da educação, Mpinda Simão, garantiu recentemente na reunião do conselho consultivo do seu Ministério, no Huambo que já foram orientadas às direcções provinciais do país, medidas para resolver os problemas dos professores.
Mpinda Simão assegurou que se prevê um bom número de reconversão, por causa dos professores falecidos bem como daqueles que abandonaram o sector. “Com os lugares disponíveis será possível reconverter as categorias de muitos professores”, referiu o ministro.
De lembrar que esta não é a primeira vez que os professores na província do Bengo tencionam paralisar sua actividade e o Sinprof daquela província tiveram forte influência na greve dos 10 dias a nível nacional.