Imagens: Bruno Miguel


DSC_1034Inicialmente era um hobby, posteriormente, passou a ver a fotografia como profissão e hoje é considerado um dos melhores fotógrafos de Angola.

Bruno Miguel, jovem Angolano de 26 anos de idade, residente em Luanda, funcionário público e estudante de engenharia informática, divide-se entre várias paixões: informática, música, desportos náuticos e radicais, mas considera a sua maior paixão a fotografia.

Profissionalmente começou a fotografar em 2011. Em Setembro do mesmo ano viu publicada a sua primeira fotografia em uma revista.

Classifica-se como um fotógrafo diversificado. A priori focava-se em fotos artísticas, vulgo fotografia de paisagens, actualmente fotografa em várias casas nocturnas do nosso país. Quando questionado sobre um dos seus grandes objectivos, revelou-nos que é o de ser fotógrafo de moda.

“Eu digo que a fotografia é  meu modo de vida; nos momentos em  que estou triste fotografo cenas menos boas, nos momentos em que estou feliz, aí quero muita luz na fotografia”.

Evoluir cada vez mais, levar seu nome e de Angola cada vez mais alto sempre exaltando a bandeira do nosso país e do seu grupo é a sua meta. Participou no concurso da VIª BIENAL DSC_1754-1DE JOVENS CRIADORES DA CPLP em Dezembro de 2013, actividade realizada em Salvador-Baía. O seu lado criativo, permitiu que Bruno fosse também autor de uma brilhante ideia, o jovem decidiu partilhar o seu conhecimento com mais dois fotógrafos, e juntos criaram o trio Só No Click.

“(…) So No Click foi uma ideia que eu tive. Pouco tempo depois decidi partilhar a ideia com mais três fotógrafos, agora são dois, que trabalham comigo, nomeadamente o Kátio de Oliveira e o Juvenal Antena. Começou como um grupo de amantes de fotografia e actualmente é uma empresa de fotografia em que fazemos trabalhos em vários tipos de eventos”.

Apesar de muitas vezes ser criticado, não se deixou levar pelas pessoas que comentavam “hoje em dia existem muitos fotógrafos, parece que é moda”, Bruno Miguel não desistiu, “(…) Eu já ouvi muito isso e muitas vezes pensei em desistir, na verdade as pessoas querem que tu sejas fraco e desistas.” A não desistência, fê-lo ter um conceito diferente sobre fotografia, “(…) A fotografia muitas vezes não é só aquilo que nós vemos na máquina fotográfica, que sai muito bem. Para termos um bom resultado muitas horas são requeridas, mais horas a estudar do que a fotografar, é preciso investir tempo no conhecimento da fotografia”.

‘’A partir do momento em que desejar fazer um bom registo e o fizer sem muitas tentativas, é sinal do conhecimento que temos alcançado’’, ressaltou referindo-se ao factor experiência e aprendizado para conseguir cada vez mais êxitos.

DSC_0791

“Acredito ser um dos melhores fotógrafos de Angola, não que existam poucos fotógrafos em Angola, mas eu sinto, que já consegui conquistar na fotografia, patamares muito altos! O trabalho que tenho feito considero um dos melhores de Angola, não o melhor por enquanto.” Sublinhou, sem falsas modéstias.

“Não vou mentir que agora gosto mais de fotografar, mas sinto que uma coisa concilia outra, porque quando estou estressado ou mal disposto dentro da área da informática é a fotografia que me vai aliviar. Quando estou cansado principalmente de editar fotografias, procuro trabalhar um bocadinho e desenvolver outros projectos que tenho em informática.”