Texto: Jéssica dos Santos


O cancro da bexiga está ainda fortemente associado aos homens de idade avançada, mas a verdade é que é uma doença que afecta maioritariamente o sexo feminino, podendo ser diagnosticada em qualquer idade.

 De acordo com a revista ‘Prevention’, dos EUA, o diagnóstico do cancro da bexiga acontece muitas vezes quando a doença está já num estado avançado, uma situação que resulta não só do desconhecimento de alguns sintomas, como também da tendência para desvalorizar alguns dos sinais que o corpo vai dando.

 Médicos oncologistas revelam que o cancro de bexiga nem sempre é fácil de detectar devido à semelhança dos sintomas que tem com os de infecções urinárias.

 Presença de sangue na urina é um dos exemplos. Embora não seja um indicador certeiro e directo da doença, é um dos sinais que não deve, de todo, ser desvalorizado, especialmente quando ocorre em período não-menstrual.

 Vontade constante de urinar, a existência de dor e ardor no acto da micção ou até mesmo a incontinência são outros sinais que devem envolver uma visita ao médico, que com recursos a análises à urina ou sangue será capaz de detectar a presença de possíveis marcadores tumorais ou do crescimento de bactérias (conseguindo, assim, fazer uma distinção entre um possível cancro ou uma infecção do trato urinário).

 De acordo com os oncologistas, as dores abdominais intensas, podem ser um outro indício da doença, embora apareçam já num estado mais avançado do cancro.

 A perda de apetite é um outro fator a ter em conta, especialmente quando ocorre em simultâneo com um dos sintomas descritos acima.