Por: Michel Candembo

Imagem: Céus Alexandre


O Microsoft Imagine Cup é um concurso organizado pela Microsoft, gigante de tecnologia do mundo. Bruno Bule, programador, do grupo selecto de jovens angolanos que já tiveram a oportunidade de concorrer, partilhou com a JdB esta experiência da qual se destaca a tentativa de adaptar  ao virtual o jogo popular ‘Não te irrites’. O programador e amigos têm o desafio de desenvolverem outros projectos virtuais, adaptados à nossa realidade.

Bruno Bule actualmente é programador de uma instituição bancária, e falou sobre as recordações mais marcantes de 2013, ano em que, juntamente com outros três colegas da Universidade Metodista de Angola, venceu o Imagine Cup cá no país e saiu em 5.º lugar na Rússia, onde concorreram 14 grupos na sua categoria, num cômputo de aproximadamente 90, divididos por quatro categorias cada. 

Na companhia de Anderson, Arnaldo e Helena, Bruno, que era o mais novo do grupo, reconheceu que o facto de participarem países como os EUA, França, Rússia, Portugal e outros, serviu também para conhecer as inovações tecnológicas, optando porém por apresentar um jogo que caracterizasse e estivesse intrínseco ao modo de vida dos angolanos, “queríamos criar algo que se aproxima a nossa realidade, o jogo ‘Não te irrites’ é um jogo que todo mundo jogou, então decidimos apresentar num formato digital”. 

O criador contou que sua equipa teve um certo receio, pois concorreu com países que já têm tarimba no ramo da tecnologia, factor rapidamente superado, uma vez que recebiam motivação das pessoas que compunham a comitiva, desde o então vice-ministro da Ciência e Tecnologia e vários engenheiros das universidades angolanas. 

Perguntamo-lo sobre os motivos pelos quais a programação e outros segmentos de mercado ligados à tecnologia não serem ainda confiáveis para grande parte dos investidores, entende que a origem do problema tem que ver com a especialização “não podemos tentar ser generalistas, temos que focar numa área e investir naquilo”. “Os estrangeiros que são contratados na minha área para virem trabalhar cá, vêm com uma especialidade e é o que nós angolanos temos que passar a fazer”, defendeu. 

Tendo interrompido o projecto desde 2013,  para dedicar mais tempo aos estudos, que estavam na fase mais crítica, os quatro amigos estão já a planear outros projectos virtuais, que trarão como sempre a componente de aplicativos adaptados à realidade do país. “Parámos o projecto por razões de estudo na altura e agora por razões de trabalho, mas temos já alguns planos que não vou revelar agora”. 

Para os interessados no jogo ‘não te irrites’, o procedimento para obter é simples. Basta ter uma versão actualizada até pelo menos ao Windows 8 e descarregar pelo computador ou por um Windows Phone (telefone com o sistema operativo Windows)