Por: Neliengue Sancho


Em geral, algumas tarefas diárias têm horário marcado como, por exemplo, o inicio da actividade laboral, a hora da refeição, hora que começa aquele programa de eleição, hora do sexo, espera aí, hora do sexo?

Afinal, qual é o horário em que as pessoas mais praticam o sexo?

Maioritariamente, os casais encontram na noite o período  ideal para fazer sexo, segundo apurou a Jovens da Banda junto de alguns entrevistados em diferentes pontos da cidade capital, Luanda, em causa está na maior parte dos casos o facto de pela  manhã nos levantarmos cedo e logo surge um dia cheio de compromissos, desde o emprego à família. Só à noite existe tempo para relaxar, já não existem horários a cumprir e a noite apresenta-se completamente disponível.

Outros factores como o efeito dramático de haver pouca iluminação e uma menor audiência deixa as pessoas mais à vontade. Assim, dormir com alguém do sexo oposto torna, aos poucos, sinónimo de ter relações sexuais. Contudo, continua a não existir nenhuma razão óbvia para que o sexo à noite seja biologicamente preferível.

Em 2005, Robert Refinetti, da Universidade da Carolina do Sul, curioso com estes resultados tentou perceber se factores ambientais, biológicos ou culturais podem influenciar o porquê de as pessoas escolherem praticar o sexo à noite ao invés de qualquer outra hora do dia. O referido estudo mostrou pelo menos aquilo que é opinião dominante dos nossos entrevistados: a maioria das pessoas rege-se por um horário laboral das 9h às 18h o que deixa pouco espaço à espontaneidade. No entanto, pode também existir uma explicação biológica relacionada com o ciclo circadiano (período de aproximadamente 24 horas no qual se baseia o ciclo biológico de quase todos os seres vivos, influenciado principalmente pela variação de luz, temperatura, marés e ventos entre o dia e a noite). Tal como a maioria das outras necessidades que são satisfeitas através de rotinas (temos sono a uma certa hora, acordamos a outra e a fome surge de x em x horas), também o sexo e o desejo sexual se pode reger por ritmos diários. Porém, esta é só uma suspeita, para comprovar, o investigador afirma que para o poder estudar, teríamos de manter casais sozinhos na escuridão constante por muitos dias e verificar quando estes  fariam sexo.

Há estudos  feitos sobre a quantidade e a frequência de vezes que os casais fazem sexo, mas este tema fica para  nossa próxima abordagem, porém, avançamos que um dos primeiros estudos sobre este tema foi feito em 1982 e publicado na revista Human Biology.