Por: Lourenço Mussango


Na noite de ontem, 27, no auditório Njinga Mbandi, o Colectivo de Artes Pedro Bélgio, por meio da peça teatral ‘Tamanho é Documento?’, pôs em reflexão o tamanho do pénis como o garante ou não da manutenção de uma relação amorosa.

O tamanho do pénis é uma questão que normalmente suscita grande interesse. Algumas pessoas consideram que ter um pénis grande é sinal de masculinidade, enquanto outras acham seus pénis pequenos demais para satisfazerem a parceira nas relações sexuais. Essas certezas e inseguranças levaram ao surgimento de muitas crenças erróneas sobre o tamanho do pénis e à criação de preconceitos e estereótipos sexuais.

O Colectivo, com essa peça teatral, levou os presentes  a reflectirem o modo machista como alguns homens tratam as mulheres numa relação amorosa, e a forma como elas encaram e se impõem em relação ao sexo.

Ssgundo o que foi apresentado,  as mulheres não devem ser tidas como meras descargas de sémen. Há a necessidade das preliminares antes da penetração. O Colectivo apresenta que a mulher não deve aceitar ser usada como um mero instrumento sexual. Tem de se exprimir e exigir um tratamento respeitoso e de igualdade aquando do acto sexual. Advogou-se o empoderamento da mulher na relação amorosa. A mulher não deve só satisfazer o parceiro, deve também ser satisfeita por ele.

A ideia de que o tamanho do pénis resolve mais de 70% do essencial para a manutenção da relação ficou provada que não é verdade. Tal como muitas mulheres exploraram e tocam os corpos de seus parceiros, aconselhou-se aos jovens presentes a fazerem o mesmo. O sussurro, o beijo, o toque e outras preliminares devem fazer parte dos detalhes mais íntimos de um casal.