Por: Alfredo Julião


O músico Gabriel Tchiema volta a actuar em concerto este Sábado (11) às 20 horas, no Palácio de Ferro, no âmbito da III Trienal de Luanda.

Este será mais um concerto que traz o artista e sua banda, com aposta na estilização dos ritmos do leste do país como a Tchianda e o Makopo, nos quais resultaram os temas “Molekeleke”, “Mungole”, “Mbimba”, “Itela” e o“Azwlula’. Segundo o artista, está reservado de “um pouco de África na harmonia angolana”, como mostra no “África yami”.

Nascido no município de Dala, província da Lunda-Sul, em 1966, o músico tem publicado os títulos “Nhena Nhi Nhami”, “Dona”, “Azwlula” e “Mungole”. Deu os primeiros passos no mundo da música na província de Cabinda, onde, até 1990, cumpriu o serviço militar. Co-fundador da Banda ASP, com a qual ganhou vários prémios nos festivais militares. Com o disco “Mungole”, venceu o Prémio Nacional de Cultura e Artes de 2014 e “Melhor Produção Discográfica” na última edição do Top Rádio Luanda.

Neste Sábado Tchiema marca a sua quinta passagem ao Palácio, depois das actuações nos dias 6 e 13 de Fevereiro, 27 de Agosto (Zwá) e 24 de Setembro de 2016. Ainda no âmbito da III Trienal de Luanda, o músico apresentou-se na cidade de Niterói (Brasil), Estado do Rio de Janeiro, em Abril do ano passado, inserido no projecto “Ressonância Magnética”.

Do tradicional à multimídia

A III Trienal de Luanda teve início a 01 de Novembro de 2015 e vai até finais de Agosto do corrente ano, sob o lema “Da utopia à realidade”. Esta iniciativa cultural visa resgatar, preservar e divulgar as obras e criadores angolanos que trabalham para o desenvolvimento da nossa hegemonia cultural, nas mais variadas disciplinas artísticas.

Do tradicional à arte multimídia, de acordo com a organização, a Trienal de Luanda é um exercício que respeita a diferença, redimensiona e valoriza o outro, enquanto sujeito artístico da acção, tendo como objectivo o resgate, através das Artes Visuais e Cénicas, os orbes da nossa memória colectiva. Nesta vertente, o projecto já realizou, desde Novembro de 2015 a 05 de Março de 2017, 1.788 eventos (artes visuais, cénicas, literatura, projecto educação e entrevistas), mais de 2.490 artistas participou, tendo um total de público de 138.184 Pessoas, em 420 dias de actividades.