Entre atributos que realçam a beleza da mulher, o cabelo é dos mais cuidados, pois elas estão constantemente a preocupar-se com o bom estado desta parte capilar, os gastos da manutenção são mais ou menos de 30 mil kwanzas mensal. Os produtos não são menos de 5 mil. As cabeleireiras já atendem metade dos clientes para cabelos naturais.

Deolinda de Fátima, jovem que se considera ter vício em cuidar do cabelo, entende que
de algum tempo a esta parte, tem-se verificado por todo lado a muitas mulheres angolanas que decidiram abraçar suas raízes, optando por usar e dar ênfase ao cabelo natural.

Se é moda ou não, parece ser relativo porque muitas são as “crespas” (quem usa cabelo crespo) que garantem usar por gosto, embora haja quem entenda que a causa é a crise que apertou. Mas muitas afirmam que o fazem porque está na moda, há outras que relatam ser valorização da sua identidade.

Uma ronda feita pela nossa equipa em algumas lojas da capital, onde se comercializa produtos para o cabelo crespo, pudemos constatar que os produtos para cuidados do cabelo natural não são baratos principalmente agora que há muita procura e porque também em conformidade com a situação económica do país os artigos encareceram bastante, já que os mesmos são importados.

Indira Neto que encrespa há mais de dois anos, viu-se forçada a optar pelo crespo por conta dos produtos químicos que muito usava e que lhe causavam problema capilar, “o cabelo não desenvolvia, caía constantemente e tinha uma certa fragilidade” contou.

Inserida em alguns grupos em cuja motivação é a troca de experiência no que concerne ao cabelo natural, a jovem diz estar mais feliz agora do que quando usava cabelo liso, mas lamenta a subida dos preços dos produtos.

Natividade Londjala, também encrespa, garante que não usa o crespo por moda, mas sim por aceitação, por valorização e por uma questão de bem-estar pessoal.

Para a cabeleireira Solange Chitula, há cada vez mais clientes com cabelo natural a procurar pelos seus serviços e que em cada dez clientes que atende pelo menos 4 a 5 são naturais.

Entre os produtos mais procurados os vendedores apontam a linha ‘Cantu’ (estando entre as mais caras do mercado com o valor não inferior a cinco mil kwanzas por produto), envolvendo a Salon line, Nature, Tresmmé, a Dr. miracle, o óleo de rícino e o de coco e o gel Eco.