SOCIEDADE

Covid-19: Jovens divididos quanto à obrigatoriedade da vacina

A obrigatoriedade da tomada da vacina contra a covid-19, segundo o Decreto Presidencial 207/21 de 31 de Agosto, para candidatos a concursos públicos, está a dividir opiniões dos jovens, em Luanda.

 Os candidatos ao curso público para Governo Provincial de Luanda alegam ter recebido a informação muito tarde e dizem, por outro lado, não perceberem a necessidade da obrigatoriedade, uma vez que estavam equipados com os materiais de biossegurança e mantiveram o distanciamento social. 

Mariana Fortunato é um dos entrevistados. A jovem viu-se “forçada” a ser vacinada, para ser permitida ao exame. ” Fiz só porque estavam a exigir um cartão de vacina contra covid, não sinto que fiz para salvaguardar a vida, a pesar de que indirectamente vai repercutir a este fim”, contou.

Com o Decreto, considera o jovem Godinho, mesmo as instituições que não devem exigir a apresentação do cartão, vão fazê-lo.

A JB foi ao encontro de Rosa Bastos, na Urbanização Nova Vida. A especialista em saúde pública explicou que a medida é assertiva, Estamos a falar da valorização da vida. Não vejo esse decreto como uma possível garantia da vaga ou emprego, mas como prevenção da saúde, pensa.

Texto: Maria Málagas

Imagem: D.R.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo