NegóciosTecnologia

Clientes da Africell no Golf2 agastados com o atendimento

Texto: Berlantino Dário

Os cidadãos que acorrem aos postos de vendas do “cartão Sim”, da quarta e nova rede de telefonia móvel reclamam pela forma como estão a ser tratados, no Golf 2, em Luanda.

Os que querem adquirir o “Chip” da operadora que começou a funcionar segunda-feira, no país, estão a deparar-se com dificuldades na compra do Chip. Uns mesmo depois de dois dias não conseguem obter o SIM.

Alguns cidadãos queixaram-se à JdB dizendo que não tem havido organização nos postos de venda e pedem que a empresa coloque mais locais.

“Eles atendem mais pessoas que não estão na fila. O processo de atendimento é muito lento, as pessoas ficam aqui na fila com muito sol. Está mal isso!. Hoje é a minha segunda vez a vir aqui, e até agora 13 horas, ainda não me atenderam”, lamentou um cliente.

Descontentes, porque tiveram que faltar ao serviço e outros, que abandonar os seus postos de trabalho para conseguir um cartão SIM, os entrevistados verificam muita a desorganização no atendimento. 

“Eu tive de dar uma fugida no meu trabalho para vir aqui pegar um Chip para mim e para minha esposa. Infelizmente, não consegui. Porque isso está um caos, não há organização, não há segurança. Eles próprios também estão vulneráveis. Até nem sabemos se há prioridade ou não. Está mal esse atendimento deles!. Muito mal”, visivelmente agastado descreveu um outro interlocutor.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo